mínimo
93B83852-110E-4FCA-8BDE-10A0F336F842 (1)

 ####45

tarde

o amor consome

            o que está

            o que não está

            a falta de amor

tarde

o amor consome

            dois olhos lambendo os postes de luz acesos

            teu corpo girando em direção ao mar

            sentar na porta de casa, sem as chaves

tarde

o amor consome

            as coisas que inventei sob um céu estrelado

            a fumaça atravessando a garganta, lentamente

            os ruídos que invadem o quarto

tarde

o amor consome

            os insetos que pintam abismos na madrugada

            o despreparo das manhãs

            imaginar uma pessoa que esquecemos

                                   que não esquecemos

tarde

o amor consome

            este estar sozinha sempre

            as próteses dentárias rachando

            a dor de cabeça crônica

            todas as coisas boas

            todas as coisas ruins